Plano de gerenciamento de risco para cargas: o PGR deve ser adequado ao negócio

Consertar algo que não saiu como o esperado ou evitar que os problemas aconteçam: qual das duas situações parece ser a mais sensata? Um plano de gerenciamento de risco para cargas, o PGR, atua diretamente com a segunda hipótese, evitando o problema ao invés de precisar arcar com as consequências negativas. 

Não é de hoje que os riscos no transporte de cargas existem e, ignorar esse fato pode representar um alto custo para todos os envolvidos: embarcador, transportador, motorista e até o cliente final.

É fato que durante este tipo de operação logística há riscos que não podem ser controlados pela equipe, como assaltos, problemas na via e outras situações que podem dificultar o processo. Mas também grande parte das situações podem - e devem - ser previstas. 

Portanto, planejamento é fundamental. E neste aspecto, ter um plano de gerenciamento de riscos é indispensável para mitigar ameaças e evitar problemas no transporte de cargas.

Nesse artigo, você entenderá a importância de criar um PGR, o que é importante levar em conta na hora de estabelecer este planejamento e por que cada tipo de empresa precisa ter um plano de gerenciamento de riscos adequado ao seu negócio. 

Acompanhe!

Qual é a importância de um Plano de Gerenciamento de Riscos para Cargas?

O PGR é a soma de técnicas e medidas preventivas que atuam para elevar a segurança dos transportes com o principal objetivo de minimizar perdas e prejuízos materiais, financeiros e humanos.

O princípio de traçar um plano de risco auxilia a gestão a direcionar as ações com foco em lidar com possíveis ameaças, monitorando e controlando a operação para identificar potenciais riscos e como se manter em segurança em situações inesperadas. 

Ter um plano de gerenciamento de riscos proporciona grandes benefícios não apenas para a área de logística, mas também para toda a empresa. Afinal, quando o planejamento e gestão são feitos da maneira correta, o resultado reflete diretamente na qualidade do serviço e na experiência do cliente, o que significa grande potencial para novos negócios.

Para que um bom PGR seja consolidado é preciso definir processos, investir em tecnologias de monitoramento, softwares de gestão, controles e desenhar planos de contingência para lidar com diferentes tipos de riscos. 

Até porque, cada situação exige um planejamento diferente. Por isso, antecipar-se a eles é a melhor forma de evitar que a sua operação logística esteja exposta a um cenário arriscado.

O que levar em conta para elaborar um PGR?

A primeira e talvez mais importante dica para elaborar seu plano de gerenciamento de riscos é entender a necessidade e a realidade do seu negócio. 

De nada adianta mover esforços para evitar situações que não fazem parte do universo da rotina logística da sua empresa. Entenda o real cenário de risco que permeia sua operação e comece seu planejamento.

Para mapear os riscos, colete informações de experiências passadas e estatísticas e dados atuais sobre tudo que envolve o setor de transportes. 

Leia mais: Confira os principais desafios da gestão de risco devido ao crescimento no setor varejista

Com isso em mãos, o plano de gerenciamento de riscos será mais direcionado para validar as principais situações de ameaças, a probabilidade de ocorrência e quais serão as possíveis consequências.

Feito isso, é hora de levantar as estratégias e definir quais ferramentas serão necessárias para atender as necessidades do seu PGR. 

Quando existe abertura para se antecipar a possíveis riscos, a maneira de lidar com eles podem ser inúmeras, desde evitar que uma situação arriscada ocorra; ou quando não for possível, apresentar medidas de solução com mais agilidade. 

Por exemplo, sabemos que roubos a cargas são frequentes em determinada região e, por mais que não seja possível garantir que isso ocorra, podemos traçar rotas alternativas, ou então, ter um plano de ação estipulado caso ocorra uma situação como essa.

Outra maneira de unir a estratégia com boas ferramentas é conectar os envolvidos em uma única tecnologia. A Angellira, gerenciadora de riscos e logística, por exemplo, realiza todo o monitoramento com base no PGR, criado em conjunto por ela, com o cliente e com sua seguradora.

Este tipo de atuação, voltada para as necessidades de cada cliente, dá mais assertividade e segurança às ações, além de fazer com que o processo e as solicitações junto à gerenciadora de risco ganhem agilidade. Afinal, o excesso de atuação da gerenciadora pode ser bastante desgastante e interferir na produtividade da logística de transporte.

Acesse:  Infográfico Principais Indicadores de Sinistros de 2020

Independentemente do formato do seu plano de gerenciamento de riscos, é fundamental alimentar a cultura interna para evitar qualquer conduta que possa ameaçar o processo de transporte como um todo. 

Além de reduzir as chances de enfrentar situações problemáticas, fortalecerá o envolvimento dos profissionais com mais comprometimento e atenção. 

3 condutas que podem diminuir os riscos no transporte de cargas

Exija que as leis sejam respeitadas

Se não é possível controlar a qualidade das estradas e a sinalização adequada para diferentes trechos, por exemplo, quando as leis são devidamente respeitadas, a chance de estar envolvido em situações arriscadas diminui. 

Mantenha atenção se a jornada máxima, intervalos de descanso, repousos semanais e horários de almoço estão sendo cumpridos para contribuir com o nível de atenção que o motorista deve ter momentos de tensão.

Planeje as rotas com antecedência

Uma rota mal planejada pode colocar toda a operação em risco. Entenda quais são as possibilidades de caminho para chegar ao destino de forma segura e menos propensa a situações delicadas, desde vias e estradas ruins a regiões perigosas.

Cautela na contratação

Seus colaboradores são a ponte entre a empresa e seu cliente. Na hora de contratar, tenha cautela e busque conhecer a fundo quem são as pessoas que levarão o nome da sua empresa adiante. Poder contar com um time de confiança e profissionalismo te ajudará a minimizar os riscos durante o processo como um todo.

Como vimos, o plano de gerenciamento de risco para cargas é extremamente importante para ganhar mais competitividade e alcançar bons resultados na operação. 

Mas um bom PGR precisa estar adequado a cada tipo de negócio e segmento de mercado. É por meio de um planejamento específico e ações desenhadas exclusivamente para uma empresa que cada situação negativa ou ameaça pode ser contornada com mais assertividade e segurança.

Se você busca por um plano de riscos voltado para sua logística de transporte, fale com nossos especialistas e veja como a Angelira pode ajudar sua empresa.

Entenda melhor nossa atuação: Em dois dias consecutivos, AngelLira recupera cargas avaliadas em R$ 400 mil